19 de abril de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
 Campanha Novos Rumos AL
EVENTO

Mais de 300 pessoas participaram do evento na sede do Sindicato Rural de Campo Grande

O evento foi promovido pelo Sindicato Rural de Campo Grande, com o patrocínio da Famasul e do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de MS

6 abril 2019 - 10h13Da Redação com Assessoria
“Além de produzir com sustentabilidade, o produtor e o setor, de uma forma geral, têm a responsabilidade de comunicar à sociedade. Temos 86% de população urbana e 14% rural. Essa maioria não conhece o que a gente faz”, afirma Saito
“Além de produzir com sustentabilidade, o produtor e o setor, de uma forma geral, têm a responsabilidade de comunicar à sociedade. Temos 86% de população urbana e 14% rural. Essa maioria não conhece o que a gente faz”, afirma Saito - Foto: Divulgação

“Se nós não falarmos tecnicamente das questões do Agro, outros falarão ideologicamente”. Foi com essa afirmação que o presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, destacou a importância da capacitação de jovens lideranças rurais durante a palestra ministrada no 32º Encontro de Tecnologias para o Agro, realizado nesta sexta-feira (05), em Campo Grande.

O evento foi promovido pelo Sindicato Rural de Campo Grande, com o patrocínio da Famasul e do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de MS. “Além de produzir com sustentabilidade, o produtor e o setor, de uma forma geral, têm a responsabilidade de comunicar à sociedade. Temos 86% de população urbana e 14% rural. Essa maioria não conhece o que a gente faz”, afirma Saito.

Na sequência, o presidente apresenta a resposta. “Para que haja essa conexão necessária é preciso o envolvimento dos protagonistas do agro. No Sistema Famasul temos o programa CNA Jovem, que está na terceira edição e a Comissão Famasul Jovem, que é um grupo que contribui na tomada de decisões da instituição. A aproximação com a sociedade, o envolvimento com a produção e com a sucessão familiar são formas dos jovens se tornarem protagonistas”, explica.

A Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Côrrea da Costa Dias, fez um balanço do início da gestão. “Estamos com um pouco mais de 90 dias de governo e neste período já foi feita uma revisão geral. O Governo Federal pensa no produtor rural e quer destravar toda a burocracia e ideologia que foi colocada contra o setor produtivo brasileiro”.

O Governador de MS, Reinaldo Azambuja, abordou diversos temas que estão em discussão no cenário nacional, de previdência social a questão indígena. “Sabemos que existe o direito de propriedade e que a invasão é crime. [...] Através do legislativo é preciso definir essas posições”.

O vice-ministro da Secretaria especial de Assuntos Fundiários Luiz Antônio Nabhan, abordou o tema ‘Amplo debate sobre questões indígenas’, enfatizando: "Ninguém governa sozinho. Confesso que a missão a mim confiada é árdua.", se referindo ao cenário político encontrado ao assumir a pasta.

O “Endividamento Rural: estratégias para proteger o patrimônio e seguir plantando” foi tema da palestra do advogado da Lybor Landgraf, Henrique Jambiski. “Se o produtor souber a força que tem, nunca mais um hectare vai ser tomado a força para pagar dívida. Vamos pagar trabalhando”.

O superintendente da CNA - Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil, Bruno Lucchi falou sobre os ‘Novos Rumos do Sistema Sindical’. “Se o produtor se envolver e procurar o sindicato rural do seu município, sua Federação, suas demandas chegarão a Brasília. A CNA representa os produtores em 213 grupos entre comissões, comitês, entre outros. O sistema sindical é a voz do produtor!”. Lucchi abordou temas diversos sobre a representatividade rural: de insegurança no campo à questão tributária.

Para a secretária adjunta de assuntos fundiários do Mapa, Luana Ruiz Silva Figueiredo, ”A segurança jurídica depende da atuação dos três poderes. Recentemente, o presidente do Sistema Famasul nos levou um estudo completo sobre a situação fundiária indígena em Mato Grosso do Sul apontando mais de 140 propriedades rurais invadidas por indígenas”.

Estiveram no evento, o vice-presidente do Sistema Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; o diretor-tesoureiro, Marcelo Bertoni; o diretor-secretário, Frederico Stella, a senadora, Soraia Thronicke; o deputado estadual, Felipe Orro; o secretário de Gestão Estratégica, Eduardo Riedel; a 2ª diretora-tesoureira, Thaís Carbonaro Faleiros Zenatti; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan; a presidente do Famasul Jovem, Roberta Maia; entre outras lideranças.

Participaram do evento, os presidentes dos sindicatos rurais de: Campo Grande, Alessandro Coelho; Antônio João, Roseli Ruiz; Bandeirantes, João Nelson Lyrio; Corumbá, Luciano Aguilar Rodrigues Leite; Juti, Ramão Benites; Terenos, João Borges dos Santos Junior; Santa Rita do Pardo, Florindo Cavalli Neto; São Gabriel do Oeste, Vilson Brussamarelo. Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul - Ana Brito

Camara.ms