22 de setembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
HVM - INCORPORACOES
PARASITAS DE REBANHO

Grande problema para produtores rurais podem ser controlados com homeopatia veterinária

Moscas e carrapatos debilitam saúde do animal e geram prejuízo ao pecuarista

16 abril 2018 - 14h50Da Redação
Os parasitas atacam os rebanhos massivamente, debilitando a saúde do animal, interferindo diretamente na produtividade e na lucratividade do pecuarista
Os parasitas atacam os rebanhos massivamente, debilitando a saúde do animal, interferindo diretamente na produtividade e na lucratividade do pecuarista - Divulgação

Um dos maiores problemas enfrentados pelos produtores rurais são os carrapatos e as moscas do chifre. Os parasitas atacam os rebanhos massivamente, debilitando a saúde do animal, interferindo diretamente na produtividade e na lucratividade do pecuarista. De acordo com publicação recente do jornal Dia de Campo, somente a mosca-do-chifre causa prejuízo de U$ 150 milhões ao ano aos produtores brasileiros. 

Nesta época do ano, onde na maior parte do Brasil o clima é quente e úmido, há grande proliferação do problema e o controle eficaz é imprescindível. “Esse período é propício para eclosão dos ovos dos parasitas nas pastagens, onde há maior infestação nos animais. É um período muito difícil para o produtor, que demanda contratação de mão-de-obra adicional e retirada do gado do pasto para tratamento no curral. Essa situação gera estresse, ocasionando perda de peso dos animais e até risco de perda de animais”, explica a médica-veterinária e diretora da Sigo Homeopatia, Dra. Mônica Souza. 

A médica veterinária destaca ainda o quanto os animais sofrem com o ataque de parasitas. “O rebanho pode ser contaminado por babesiose, tristeza parasitária e febre. Produtores de leite têm o produto condenado e de tanto coçar, o couro fica muito ferido”, relata, comentando ainda que, além dos bovinos, os cavalos utilizados na lida no campo também são vítimas de moscas e carrapatos. 

Ao produtor o prejuízo financeiro pode ser muito grande, pois além do gasto com inseticidas, mão-de-obra e manejo e possibilidade de perda dos animais, seus produtos podem ser condenados devido o uso de aditivos químicos para o controle dos parasitas. “O controlador utilizado em geral são os biocidas, ou seja, controle químico, o que se tornou grande desafio aos parasitologistas já que as moscas, carrapatos e outros parasitas estão mais resistentes aos produtos, reduzindo sua eficácia. Esse tipo de tratamento mata o parasita, mas não evita nova proliferação e a carne, leite e derivados podem ficar condenados caso seja encontrado algum percentual de produto químico”, exemplifica Dra. Mônica Souza. 

Homeopatia na redução de custos e eficácia no tratamento – Nesse momento, a homeopatia veterinária surge como grande aliada do produtor e do rebanho.  Atuando também com foco na prevenção, ela combate o carrapato além de evitar sua proliferação, já que o parasita não consegue completar o ciclo reprodutivo, evitando assim que as fêmeas botem novos ovos e novas larvas nasçam. Ainda fortalece o sistema imunológico do animal, fazendo com que os ataques parasitários tenham menos impacto em sua saúde. 

“Colocamos os animais em uma situação de menor exposição aos produtos químicos. Sem o suporte homeopático, os banhos químicos são aplicados uma vez a cada 20 dias e com apoio da homeopatia, esse número cai para duas vezes ao ano. Além disso, a homeopatia ter fácil administração, é misturada junto ao suplemento mineral, não envolve estresse, animal não se expõe a agulhadas ou dor, não há manejo de curral para o produtor, além do custo muito mais baixo, garante que não haverá qualquer resíduo na carne ou leite. São só benefícios”, avalia Dra. Mônica Souza.

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já tem seus candidatos para as eleições de 2018?

Votar
Resultados
tj ms agosto
SOLURB