22 de fevereiro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
AGEPEN

Detentos do semiaberto de Dourados iniciam plantio de abacaxi para o Banco de Alimentos do Município

A unidade recebeu a doação 1500 mudas de abacaxi pérola e os internos envolvidos no projeto já deram início ao plantio

2 fevereiro 2019 - 08h00
Segundo a secretária de Agricultura Familiar, Kallen Christiany Miranda Ferreira,  a iniciativa vem para fomentar a produção na horta
Segundo a secretária de Agricultura Familiar, Kallen Christiany Miranda Ferreira, a iniciativa vem para fomentar a produção na horta - Foto: Divulgação

A horta orgânica do Estabelecimento Penal Masculino de Regimes Semiaberto e Aberto de Dourados contará com mais uma espécie de cultivo.  A unidade recebeu a doação 1500 mudas de abacaxi pérola e os internos envolvidos no projeto já deram início ao plantio. A iniciativa integra parceria com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e a Prefeitura de Dourados, por meio da Secretaria de Agricultura Familiar.

A área externa do estabelecimento foi definida para o plantio, após avaliação da equipe técnica da Secretaria de que o local é apropriado para o cultivo e, também, como forma de aproveitar o espaço. As mudas de abacaxi foram doadas por um produtor da agricultura familiar, Oscarino José da Cruz.

Para o diretor do Semiaberto, José Nicácio do Nascimento,  as mudas serão um incremento na produção no local, que recentemente inovou também com o plantio de melancia e abóbora. São 7 mil m² de horta no local, além de 2,5 hectares destinados para o plantio de tubérculos. Na opinião do dirigente, o projeto tem contribuído para o combate à ociosidade, a melhor disciplina e impacto na ressocialização dos indivíduos.

Segundo a secretária de Agricultura Familiar, Kallen Christiany Miranda Ferreira,  a iniciativa vem para fomentar a produção na horta. Ela ressalta que a pasta acompanha o projeto desde 2015 e para garantir o seu bom andamento, a equipe técnica acompanha ações desde a análise do solo, preparo, intervenções necessárias e posteriormente o plantio, manutenção e, por fim, a colheita. “A produção é destinada para o consumo dos internos e para instituições públicas que se encaixem no perfil para recebê-la”, enfatiza a secretária.

“O abacaxi será uma novidade de plantio no local e as mudas chegaram em momento apropriado para o plantio. Diante disso e do cuidado adequado, a expectativa é de uma produção farta posteriormente”, comenta Kallen Ferreira.

Conforme o engenheiro agrônomo Rodrigo Alves Cordeiro, no período de um ano é estimado ocorrer a colheita dos abacaxis no local. Ele diz ainda que esta uma produção que geralmente conta com baixa perda.

TJMS
Camara Municipal