26 de março de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Governo - Dengue
AGRICULTURA

Falta de chuva compromete a safra de grãos 2018/2019 no MS

Além do tempo abafado e do forte calor que tem incomodado a população, as chuvas localizadas e com baixos acumulados já comprometem as lavouras de soja no ano safra 2018/2019 em Mato Grosso do Sul

8 janeiro 2019 - 15h55
A estimativa inicial era de 10 milhões de toneladas, porém, devido à falta de chuvas o valor foi revisado com a quebra estimada em 11% com a colheita podendo chegar a 8,9 milhões de toneladas
A estimativa inicial era de 10 milhões de toneladas, porém, devido à falta de chuvas o valor foi revisado com a quebra estimada em 11% com a colheita podendo chegar a 8,9 milhões de toneladas - Foto: Chico Ribeiro

A terça-feira (8.01) amanheceu com temperaturas agradáveis em Mato Grosso do Sul devido as instabilidades que provocaram chuvas no dia anterior. Entretanto, poucas chuvas e aumento da temperatura estão estimadas para os próximos dias no Estado, conforme a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

No período entre 02 a 10 de janeiro de 2018, os municípios de Sete Quedas, Ponta Porã, Juti, Dourados, Bela Vista e Amambai já haviam superado o histórico de chuvas, conforme dados do Centro de Monitoramento de Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec), órgão vinculado à Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

Em 2019, o início de janeiro está diferente do que era esperado. Além do tempo abafado e do forte calor que tem incomodado a população, as chuvas localizadas e com baixos acumulados já comprometem as lavouras de soja no ano safra 2018/2019 em Mato Grosso do Sul.

Segundo o presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), Juliano Schmaedecke, a estimativa inicial era de 10 milhões de toneladas, porém, devido à falta de chuvas o valor foi revisado com a quebra estimada em 11% com a colheita podendo chegar a 8,9 milhões de toneladas.

Segundo a coordenadora técnica do Cemtec, Franciane Rodrigues, a falta de chuva em grandes volumes em Mato Grosso do Sul está relacionada a um sistema de bloqueio atmosférico na região sudeste do Brasil, que dificulta a formação de nuvens de chuva de grande porte. Ainda segundo Franciane, as chuvas localizadas que ainda estão ocorrendo em Mato Grosso do Sul são ocasionadas pelo transporte de umidade vindos da região norte do Brasil.

De acordo com o Inmet, o tempo continuará abafado, parcialmente nublado a nublado com possibilidades de pancadas de chuvas isoladas abrangendo todas as regiões de Mato Grosso do Sul até sábado (13.01).

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você considera que o uso da internet em excesso esteja incentivando os jovens a cometerem suicídio?

Votar
Resultados
DENGUE
IPVA