24 de fevereiro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
COTOLENGO

Política, um elevador com pegadinhas

10 novembro 2017 - 06h00Por

AYACHE  Assediado por partidos  mantém o equilíbrio. Mas  há também os políticos, por motivos  óbvios, torcendo para que ele não adentre a sedutora arena política. Um concorrente a menos. Ele tem razões de sobra para pensar sobre o desafio. Menos emoção e mais razão.

JUNTOS  ou separados? Separados – mas previamente combinados entre si? Como os irmãos Trad caminharão em 2018.  Perguntas  que tento responder no dia a dia. Tudo irá depender do quadro e dos projetos de cada um. Pessoas são como passarinhos, cada qual voando com suas asas.   

ELEVADOR Lembra a política: sobe e desce com direito a pegadinhas de arrepiar. Juvêncio foi vereador, prefeito  e senador eleito em 1998 com 384.264 votos . Mas em 2006, concorreu a AL e ficou no humilhante 44º lugar com 8.267 votos. Errou o passo e foi atropelado pelo tempo.

FADIGA  É igual gripe. Todo o político pega.  Já em 1998, os sinais da fadiga eram visíveis. Juvêncio foi atropelado por Carmelino na reta final e  por pouco não perde.No Senado, sendo só coadjuvante ,o cidadão  desaparece. Foi o que aconteceu com ele e tantos outros daqui.

OS POLÍTICOS  não se reinventam por medo e comodismo. Será que  André  tomou a vacina contra a fadiga? A fila anda. Já a ex-senadora e ex-conselheira Marisa Serrano sutilmente olhou para o relógio e saiu da vida pública sem desgastes. A imagem que teremos dela: feliz!

CACIQUISMO   Aos 87 anos de idade Sarney continua ícone do PMDB  influente no  Planalto. A nomeação de  Fernando Segóvia para o cargo de diretor geral da Polícia Federal mostrou isso.  Os políticos com culpa no cartório  - temendo a Lava Jato - sonham em respirar melhor.

‘LAVA JATO’   Em alguns pontos da rodovia  Camapuã-Figueirão ( MS 436)  o asfalto esfarela. A obra no rol da ‘Lama Asfaltica’; o MPF requereu perícia técnica, impedindo a restauração para preservar  as causas dos defeitos. Imagens  que aparecerão no horário eleitoral de 2018.

TECNOLOGIA   é arma importante para a vida do político. O vereador Delegado Welington   monitora com precisão  suas indicações, requerimentos e projetos. Em seu celular o mapa da nossa capital  com o zoneamento  das suas ações nos bairros. Pensa alto de olho na Assembleia.

TUCANOS   Sua bancada na câmara é  de um bom nível e deve pesar nas eleições de 2018.  Ainda falta-lhe maior experiência no jogo político em certas situações – o que é natural.  Mas  João Rocha dispõe de um canhão no comando daquela Casa de Leis. Basta saber acionar o gatilho.

A GUERRA  De um lado o Governo quer diminuir o déficit mensal de R$83,7 milhões para R$ 48,6 milhões da previdência. De outro lado os sindicalistas  com seus argumentos.  Apesar da maioria governista, embate promete sacudir a Assembleia   nas próximas  sessões.

EXEMPLOS  dos gaúchos, mineiros e cariocas ( 2 folhas de recolhimento atrasadas) servem de argumentos para  repensar a previdência com aumento de 11% a 14% na contribuição dos servidores e de 22% a 28% ao recolhimento patronal. Inevitáveis os danos eleitorais em 2018.

O MOTORISTA João Pedro Miranda que causou a morte de Caroline A. Machado na capital   será levado ao Tribunal do Juri. Em recente decisão no STF  o ministro Gilmar Mendes mandou que o ex-deputado do Paraná, Luiz de Carli, causador de idêntico acidente seja levado ao Tribunal do Juri.    

 PENA!  Aqui troca-se vidas humanas por cestas básicas de  alimentos  até vencidos. Direitos humanos só para os causadores das desgraças. Ficam as perdas e as dores eternas. Matar uma capivara é mais suscetível de cadeia do que matar uma pessoa. Que país de merda é esse!

NA CAPITAL  os ‘mauricinhos transviados’ tudo podem. Contam com a complacência premiando as elites em casos conhecidos. Poderosos, os pais compensam a ausência  com cartão de crédito, carrões e liberdade sem limites. Um dia eles vão chorar de arrependimento. Se vão...

ROUBA MAS FAZ’  Vale  lembrar Marina Silva: “Antes a gente tinha essa ideia do rouba, mas faz. Mas agora isso virou uma profusão de nomenclatura. Tem gente que diz rouba, mas é amigo. Rouba, mas é de esquerda. Rouba, mas está fazendo as reformas. Isso não pode acontecer.”

Deixe seu Comentário

Maestro João Carlos
PMCG